Você já conhece os três tipos de sujeitos da língua portuguesa? - Enem Digital

Você já conhece os três tipos de sujeitos da língua portuguesa?

Veja como usar e identificar esses sujeitos na hora de interpretar um texto e escrever uma redação

 

Para entender o que são os sujeitos da língua portuguesa e quais as suas funções em um texto, é necessário que o aluno tenha conhecimento e entendimento do que é a sintaxe. 

Bom, em breve explicação, a sintaxe é a parte da gramática que estuda a disposição das palavras na frase e a das frases no discurso, ou seja, a relação lógica das orações entre si. É bem simples de entender. Sempre quando queremos transmitir uma determinada mensagem, procuramos um modo de disseminar a informação de forma clara e objetiva, para que assim, a pessoa entenda o que queremos dizer, não é mesmo? Essa mesma lógica é utilizada ao escrevermos um texto.

Sendo assim, a sintaxe é vista e considerada como um instrumento crucial  para a criação de inúmeras possibilidades de combinação de palavras e orações. 

Na língua portuguesa existem três tipos de sujeitos, sendo eles: indeterminado, inexistente e determinado. Agora que você já sabe a importância da sintaxe, será bem mais fácil entender a função de cada um desses sujeitos no texto. E aí, vamos nessa?!

Sujeito Indeterminado 

De acordo com o site Só Português, o sujeito indeterminado é aquele que, embora existindo, não se pode determinar nem pelo contexto, nem pela terminação do verbo. Na língua portuguesa, há três maneiras diferentes de indeterminar o sujeito de uma oração. Confira!

 

  • Verbo na 3° pessoa do plural: Sem que se refira a nenhum termo identificado anteriormente (nem em outra oração). Exemplo: Estão solicitando sua presença no palco. 
  • Verbo ativo  na 3ª  pessoa do singular, seguido do pronome “se”: O verbo vem acompanhado do pronome “se”, que atua como índice de indeterminação do sujeito. Essa construção ocorre com verbos que não apresentam complemento direto (verbos intransitivos, transitivos indiretos e de ligação). O verbo obrigatoriamente fica na terceira pessoa do singular. Explicação obtida por meio da plataforma Só Português.

 

Exemplos: 

  • Vive-se melhor no campo. (Verbo Intransitivo)
  • Precisa-se de técnicos em informática. (Verbo Transitivo Indireto)
  • No casamento, sempre se fica nervoso. (Verbo de Ligação)
  1. Verbo no infinitivo impessoal, observe: Era penoso estudar todo aquele      conteúdo; É triste assistir a estas cenas tão trágicas.

Sujeito Inexistente 

Em algumas orações é natural que não haja a existência de um sujeito. Isso significa que na oração existe apenas o predicado, formado pelo verbo impessoal (sujeito inexistente).Veja abaixo quais são os verbos impessoais. 

  • Fenômenos da natureza: amanhecer, chover, escurecer, esquentar, gear, nevar, relampejar, ventar. Exemplo: Choveu muito esta noite. 
  • Tempo decorrido ou fenômenos meteorológicos: ser, estar, fazer e haver. Exemplo: Está muito cedo. 
  • Verbo haver no sentido de existir ou acontecer, como por exemplo: Havia muitos carros na Avenida Paulista.

Sujeito determinado

Assim como o nome propõe, o sujeito determinado é aquele que está exposto de forma explícita na oração. No geral, o sujeito determinado se divide em três classes, são elas: simples, composto ou implícito/oculto/elíptico/desinencial. Confira abaixo. 

    • Sujeito simples: Para ser identificado como sujeito simples, o verbo na oração precisa se referir a apenas uma palavra, como por exemplo: Beatriz viajou sozinha. 

 

  • Sujeito composto: Diferente do sujeito simples, o sujeito composto pode ser identificado no texto a partir do momento em que o verbo da oração se refira a mais de uma palavra. Exemplo: Pedro e Beatriz não conseguem viver em harmonia. 

 

  • Sujeito implícito/oculto/elíptico/desinencial: Esses quatro modos de sujeitos são usados para classificar o sujeito que não é explícito, mas é possível identificá-lo na oração. Observe alguns exemplos: Escolhemos todos os candidatos; Prefiro estudar nos finais de semana. Bem simples né? Esperamos ter ajudado. Bons estudos e até a próxima.